1. E hoje o blog completa 5 anos. E como ele me ajudou neste período!

    Foram desabafos, confissões, dúvidas, alegrias e muitas conquistas compartilhadas. Começou despretensiosamente, ajudou-me em vários momentos, trouxe pessoas para perto, tive interação com outras mães, trouxe amizades!

    O blog teve mais de 26.000 visualizações, 174 posts publicados, 255 comentários, além de emails e mensagens privadas.

    Ele realizou o meu sonho infantil de ser escritora, quando no ano passado virou um livro e teve sua tiragem de 1000 exemplares, quase toda vendida!

    Recebi um carinho tão grande que seria impossível quantificar, e é isso que ficará registrado para sempre nas minhas recordações.

    Mas... Como tudo na vida tem um ciclo, hoje, encerro o ciclo do blog.

    Continuo "Prendida" na Maternidade, estarei assim por toda minha vida, mas os anos intensos que exigiram tanto fisicamente e por diversas vezes fez com que eu me sentisse tão sozinha, ficam para trás. Hoje a maternidade ainda exige muito de mim, emocionalmente acho que muito mais, mas são demandas muito diferentes e quero me entregar a este novo momento da maternidade e vive-lo intensamente, assim como fiz desde que tornei-me mãe. Logo a infância ficará para trás e quando a saudade apertar, terei estas gostosas lembranças, ora desesperadas, ora engraçadas, mas sempre cheias de muito amor.

    Encerro o ciclo com uma sensação gostosa de que o blog foi um grande presente em vários sentidos e aproveito para deixar minha eterna GRATIDÃO para todos aqueles que me acompanharam neste período, que deixaram mensagens, que choraram comigo e torceram tanto pela minha família.

    Muito obrigada meus leitores amigos, por fazerem parte desta história!!!

    Um grande abraço para cada um de vocês!


    2

    Visualizar comentários

  2. Eu sei que ando ausente. Na verdade ando num momento de "tempestade" interna e reflexão. Alguns acontecimentos, mais uma vez, exigiram mais do que eu pude dar e a verdade é que eu precisei de direção e estou trabalhando a questão.

    Sabe quando você tem muito a dizer e não consegue ordenar os pensamentos? Estou assim desde a quimioterapia, a falta de concentração é inclusive um dos efeitos colaterais, mas esperava que após 4 meses do seu fim as coisas melhorariam, e nem sei se isso é exclusividade dos seus ainda efeitos severos ou é da transformação intensa que estou vivendo.

    A transformação é constante e as mudanças são necessárias e positivas.

    Gostaria de dizer que o "câncer" me transformou, me deixou mais paciente, mais sábia. Mas é mentira. Foi um momento delicado (na verdade ainda  é), deu uma grande chacoalhada, me desgastou fisicamente e me obrigou a mudar rotina, mas não me deixou uma pessoa melhor. Esta é uma questão que precisa ser trabalhada diariamente.

    E nada como a maternidade para nos fazer querer ser melhor sempre. É até clichê, mas é a pura verdade. E nada como os filhos para nos apresentar todas as nossas falhas. Ah e quanto eles nos exigem! Como crianças com necessidades diferentes das comuns, nos exigem e nos desgastam.

    As pessoas dizem o quanto sou forte, o quanto ensino. Claro que é bom ser admirada, acolhida e recebida com tanto carinho, mas estive pensando o quanto posso estar passando algo que não é verdadeiro. Não sou forte, só optei nos momentos de dificuldade, reagir da melhor forma e que eu pudesse seguir...Nunca gostei de me lamentar! Mas isto é uma escolha minha!
    Quem escolhe diferente, não é fraco. Ninguém é fraco! As pessoas só conduzem a vida de formas diferentes, dentro de seus conhecimentos, dentro de suas oportunidades e de suas escolhas.

    Mas quem disse que seria fácil, não é mesmo?

    Talvez o que me traga uma certa "vantagem", é que eu tenho consciência de que não existe felicidade o tempo todo, ninguém está 100% todos os dias e o dia inteiro. E isso não me causa expectativa, o que me deixa mais tranquila em trabalhar os problemas quando surgem, nem por isso sem dor ou sofrimento. Então, permito-me ter os meus dias nublados e sei que os dias ensolarados irão chegar. E quando eles chegam, gosto de aproveita-los com todos meus sentidos. 

    Meus dias ensolarados, estou aguardando ansiosamente por você! 



    E vocês em que momento estão?!?

    0

    Adicionar um comentário

  3. Ahhhh... a rotina, ela que é tão importante para as crianças,  principalmente as que tem dificuldades de atenção e concentração, (como o Miguel e o Pedro),  desta vez tem um gosto mais que especial para mim,  é a vida voltando ao normal! 

    Estou com uma alegria e animação tão grandes que nem sei explicar... Sabe aqueles detalhes corriqueiros que trazem imensa satisfação?  É assim que tenho me sentido.

    Fazer lição com os 3 pode parecer uma tarefa fácil,  mas não é... E as exigências só aumentam,  além de ter que dar uma atenção especial ao Miguel. 

    Ano passado,  como eles ficavam o dia todo na escola,  eles faziam tudo por lá... E a verdade é que acabei me acomodando com a situação. Foi o meu momento "egoísta". Mas senti falta de ficar próxima deles neste momento,  que também é de aprendizado para mim. Grande exercício de auto controle. 


    É a maternidade nos ensinando sempre.

    É a vida mostrando que não temos o controle de tudo.  

    É a oportunidade de que podemos superar as maiores dificuldades, basta querer. 

    É a fase de calmaria (apesar de corrida, bem corrida), depois de uma fase de tempestade. 

    A nossa jornada acontecendo lindamente e a GRATIDÃO por todo aprendizado. 

    A torcida para alcançar a tão desejada evolução.... 

    Amém!
    0

    Adicionar um comentário

  4. Encerramos mais um ciclo que parece ter se iniciado esses dias. Lembro ainda da sensação de deixa-los a primeira vez na escola, achei que estivesse segura por ser mãe de segunda viagem, mas a emoção foi tamanha que chorei de soluçar no carro, ainda no estacionamento da escola.

    O fato é que tudo realmente passa. Tantos os bons momentos, quanto os de maiores dificuldades, e o mais difícil é que passam rápido demais. Faz parte! E por isso gosto tanto de fazer registros. Acho que com as fotos, com os textos, posso reviver tudo que temos vivido, o quanto temos aprendido e o quanto foi delicioso viver cada um destes momentos.

    E nossa!!! Como este ano merece ser registrado!!!

    João que iniciou o ano falando tudo "elado" (sim, ele era muito cebolinha, trocava o R pelo L), e que a principio me deixou desesperada, chorando as pitangas para a fono do Miguel, se auto corrigiu. Simples assim. Foi lindo de ver o esforço dele que aconteceu naturalmente. E ainda termina o ano lendo! Lendo tudo! É empolgante ver a grandiosidade do encantamento dele por este mundo letrado, por estes códigos fascinantes que se decifram diante de nós.

    Miguel que no começo do ano, ainda se expressava com tantas dificuldades, que não conseguia manter uma conversa com sentindo, que teve vários problemas comportamentais, que teve uma adaptação difícil, termina o ano surpreendendo a todos. Ainda aquém do que é esperado para a idade, ou para a turma, mas muito além do que esperávamos para ele. Tanto, que decidimos (família, escola, terapeutas) que o melhor era ele continuar com a turma, que é tão acolhedora e já entende as dificuldades que ele tem. E ele termina o ano escrevendo seu nome, reconhecendo as letras e fazendo algumas "hipóteses bem simples" de escrita, e com um livro debaixo do braço. Ele está encantado com os livros! E eu infinitamente feliz por vê-lo seguir o caminho com o irmão e toda a turma!

    Foi uma amadurecimento por vezes dolorido e por vezes fascinante, e que se fecha com a primeira formatura de tantas que ainda virão. Mas esta teve um gosto especial,  pois ainda temos toda aquela doçura, aquela "fofurisse" dos pequenos que começam a se achar grandes.
    E agora vamos entrar naquela fase que eles não perdem só os dentes, mas começam a perder um pouco de sua inocência infantil e que faz parte do amadurecimento de todos.

    E eu me emociono por já sentir saudades de quando eram tão meus e alegria de vê-los desbravar um mundo cheio de possibilidades.

    E que venham as novas conquistas, as novas quedas, as novas frustrações e as alegrias infinitas.

    E eu termino com o coração cheio de GRATIDÃO por todos aqueles que estiveram compartilhando conosco todos os momento lindos, algumas vezes difíceis, mas que os tornaram ainda mais especiais.

    Professoras, equipe pedagógica, terapeutas, AT querida... para sempre em nossos corações e o nosso muito, muito OBRIGADA!


    João e Miguel,
    Obrigada por terem nos escolhido, para compartilhar esta jornada tão linda conosco!
    Amo vocês!

    0

    Adicionar um comentário

  5. Aí que bom que este outubro "rosa" chega ao fim.... em um momento muito egoísta, ansiava pelo seu fim. A campanha a todo momento me lembrava que eu tenho câncer de mama, e que eu ainda estou em tratamento.... fato que nos dias bons me esqueço.... até meu médico esquece, segundo ele porque eu não dou trabalho :)

    Mas a verdade é que esta quarta etapa do tratamento,  me consome.... os efeitos colaterais da medicação, mesmo sendo oral, são chatos e incômodos. Então não vejo a hora de virar esta página e por isso não quis escrever antes...

    Mas espero que o mês de conscientização tenha realmente desempenhado o seu papel, e que tenha alertado as mulheres, que as pessoas mais necessitadas tenham conseguido acesso aos exames e que a espera pelo diagnóstico e início do tratamento tenham sido menores. E que o comércio que lucrou muito com isso, possa contribuir com tantas e tantas mulheres que não tenham acesso ao tratamento de qualidade e de medicina integrada que faz muita diferença ao tratamento.

    A todas as mulheres que acompanham a minha luta, reforço aqui que esta luta não é maior que a de ninguém, faço o lembrete para que se toquem, conheçam o seu corpo, tenham seus exames em dia. A verdade é por mais saudável que seja sua alimentação, sua prática de exercícios, sua vida leve, ainda sim,  ninguém está livre deste mal, mas quanto antes ele for diagnosticado, maiores são as chances de passar por um tratamento pouco invasivo.

    De qualquer forma, sou grata sim por todo o momento que estou passando, sem ele não teria aprendido tanto, não teria recebido tanto carinho e não me sentiria tão forte quanto me sinto hoje, mesmo nos meus "dias ruins"!!!!

    Vai passar, vai passar..... está passando!!!!

    Gratidão!!!!

    Minha primeira sessão de quimioterapia (out/15)

    PS: E mulheres queridas que me enchem de energia positiva, exames em dia hein?!? 


    0

    Adicionar um comentário

  6. Espero que meus filhos possam participar de um mundo em que ela não seja necessária, porque as pessoas saibam respeitar as diferenças e as dificuldades que cada um tem, uns em um grau maior que os outros.

    Diante da fragilidade da vida, tudo o que podemos fazer é dar o nosso melhor todos os dias, sempre aprendendo e infelizmente, errando. Procuro ensinar aos meus filhos o respeito ao próximo nos mínimos detalhes, acho sinceramente que o pouco que é feito da melhor forma, faz diferença no todo, e em tudo que o mundo anda precisando.

    A oportunidade de prestigiar um grande evento com atletas que realmente nos mostram  o que é superação foi a oportunidade que tivemos de mostrar ao trio algo diferente do mundo que eles vivem, deixa-los mais próximos do encanto que é a SUPERAÇÃO destes atletas e é claro encantou a todos.

    Eles talvez não entendam a dimensão de tudo que estes atletas heróis representam, mas registramos, lindas memórias, recordações incríveis e espero que não seja apagado nunca de seus inocentes corações e com significado especial por este momento em que estamos vivendo.

    O evento lindo acabou, mas o desejo de que tudo seja diferente, os lugres acessíveis, as pessoas respeitando as vagas, as escolas fazendo as inclusões, os profissionais se preparando para fazer as mudanças necessárias para uma verdadeira inclusão, até que ela seja desnecessária, deve permanecer!





     




    Pedro, João e Miguel

    Podemos fazer tudo que quisermos, vocês conseguem se superar sempre, e sempre podemos dar o nosso melhor e respeitar o próximo em todas as suas limitações. Já somos todos heróis se tivermos coragem de superar nossas falhas todos os dias!!!

    Todos temos os nossos problemas, em maior ou menor grau, o que diferencia mesmo é a coragem que todos temos para enfrenta-los!

    Superação em todos os sentidos!

    Gratidão por superar nossas dificuldades e amor por contribuir com o que faz a diferença:
    Respeito com tudo e com todos!!!

    Eu amo vocês!
    Mamãe





    0

    Adicionar um comentário

  7. E por 5 anos vivi quase exclusivamente para os filhos... o Miguel teve uma demanda grande em vários sentidos e quem me acompanha sabe o quanto fui super protetora e apegada.

    Não me arrependo de ter dado este meu tempo para eles. Foi uma escolha minha. Eu escolhi e tive a oportunidade de viver a maternidade intensamente, e se eu voltasse no tempo, faria tudo novamente. 
    É claro que com a experiência de hoje, eu faria algumas coisas diferentes, acredito que melhores. Mas isso faz parte de qualquer experiência de vida que temos. 

    O importante é que investi neste tempo exclusivo de maternidade o que eu tinha de melhor, sempre buscando me aprimorar e entender, para ajuda-los no que fosse necessário.

    No meio do caminho apareceu o tratamento que exigiu que eu desse mais atenção não só ao meu corpo, mas a minha mente e minha alma. E a partir desta exigência, fui obrigada a soltar mais meus passarinhos... outras pessoas passaram a cuidar, tive que "abrir mão" da exclusividade em tudo que se relacionava ao dia a dia deles. O pai foi obrigado a ficar por dentro de tudo que se relacionava a eles: fazendo lancheiras, separando uniformes, respondendo agenda, levando ao médico. E passaram a ficar o dia todo na escola. E como era de se esperar, ganharam mais autonomia e ficaram mais maduros, aprenderam e cresceram tanto, em tão pouco tempo.

    Com todas as mudanças, pude observar meus filhos, um pouco mais como espectadora e assim, reavaliar minhas condutas. Não mudei as minhas convicções, elas são as mesmas. Não quero apressar nada na vida deles, quanto mais crianças, por mais tempo forem, melhor! Mas pude ver tantas possibilidades, ver como são companheiros, carinhosos e queridos, tem suas falhas como todos, mas estão na busca de sua evolução e acredito que isso se dará amando ao próximo, mas antes de tudo, amando a si mesmo!!!!

    E como sou grata de compartilharmos esta jornada, com tanta troca!!!

    Pedro, João e Miguel

    Que vocês continuem alcançado vôos... mamãe e papai, estarão por aqui para orientar, direcionar e ajudar a levantar quando algumas quedas surgirem. 




    E quando estiverem voando sozinhos, espero que mamãe e papai, estejam curtindo e ainda compartilhando esta jornada e finalizando as nossas missões!



    Que assim seja!
    0

    Adicionar um comentário

  8. No último dia 12 aconteceu a Corrida e Caminhada contra o Câncer de Mama. Eu estava inscrita, tinha a intenção de fazer a caminhada, mas devido aos acontecimentos, como contei no post anterior, a indicação médica foi manter o repouso. Fiquei triste por todo o contexto, mas amigos especiais que participaram, me dedicaram a corrida.
     
    Palavras da querida Ivy: " Essa corrida foi muito especial e é dedicada a uma pessoa guerreira e exemplo pra muita gente!! Era pra ela estar comigo nessa caminhada, mas por orientação médica não pode vir, então Maria, essa medalha é sua!! Fiz a prova por você e por todas as mulheres que como você vence um leão por dia!!! Você sabe a minha admiração por você.. Que mesmo após uma quimio punk e uma mastectomia, consegue ser mãe, esposa, amiga e tudo isso sempre com um sorriso largo no rosto!!! "

    Palavras do meu personal Carlos, acompanhado de suas alunas, em especial minha companheira de treino Regiane: " Essa foi especial para mais que uma aluna, mãe, autora, dona de casa, esposa e guerreira vencedora, venceu a luta contra o câncer de mama, não pode participar por motivos de recomendação médica, mas fizemos questão de contribuir acordar as 4 e correr as 7 com temperatura de 5 graus não é nada, estamos esperando por você Maria Souza! Beijos"
     
     
    E isso me fez lembrar, como eu sempre recebo carinho especial quando menos espero:
     
    - Uma vez, onde eu trabalhava teve um amigo secreto e a maioria das pessoas colocou um CD na sua lista de desejos, lembro de ter colocado o CD dos Tribalistas. Eu fui a única que não ganhei. Então todos fizeram uma vaquinha, me chamaram em um dos Departamentos e me entregaram o CD. Como fiquei emocionada!!!
     
    - Estava trabalhando em uma Editora quando engravidei dos gêmeos. A turma de lá se reuniu e comprou fraldas. Nem acreditei quando cheguei do almoço e vi aquela linda cesta enorme, na minha mesa! Fiquei até sem palavras de tão emocionada!
     
    - Quem foi ao lançamento do "Prendida" na Maternidade, viu a homenagem que eu recebi dos amigos Marcelo e Andrea, com a serenata dos Trovadores Urbanos. (Se quiserem ver ou rever é só clicar aqui). Além de todas pessoas queridas que me deram um pouco do seu tempo para prestigiar um momento tão importante da minha vida!
     
    - E tem todas as mensagens, preocupações, palavras de incentivo, vibrações e orações que tenho recebido desde o meu diagnóstico, em outubro do ano passado.
     
    É engraçado, porque sempre achei que o meu ciclo de amigos era bem restrito, devido a minha personalidade introspectiva... Mas se formou uma corrente tão linda, tão maior do que eu poderia imaginar que tudo que peço é ser merecedora de tanto carinho e que eu possa de alguma forma retribuir e propagar esta corrente do bem, e esta "energia" é a única coisa que não quero que passe!!!
     
    GRATIDÃO meus amigos, muita GRATIDÃO!!!
     
     
    2

    Visualizar comentários

  9. Depois de 16 sessões de quimioterapia, 4 vermelhas e 12 brancas, o resultado dos exames de imagens diziam que a resposta ao tratamento do meu tipo de câncer* havia sido excelente!
     
    Então, aguardamos a minha imunidade se recuperar, para realizarmos a mastectomia, com direito neste intervalo, a uma viagem para Floripa e o lançamento do livro "Prendida" na Maternidade, que me deu forças para a segunda etapa do tratamento como contei aqui.
     
    Aí vieram alguns sustos e contratempos:
     
    - Fiquei sem ajuda no lar, porque a minha recém contratada, faltou, por motivos justos, por 5 dias. Crianças precisando de roupa e eu me sentindo super bem coloquei tudo na máquina e no varal... mas o movimento fez com que o meu expansor saísse do lugar. Fiquei assustada e minha médica fez questão de me deixar apavorada: a preocupação maior era que o movimento do expansor fizesse  com que eu voltasse a ter sangramentos (perdi muito sangue na cirurgia) e isso faria com que eu voltasse de emergência para o centro cirúrgico, e além do risco, isso atrasaria a radioterapia.
    - Segui as recomendações médicas de repouso absoluto a risca, mas desta vez desanimada, preciso confessar que o repouso, para mim, foi um grande teste de paciência.
    - Depois da segunda expansão, a minha pele ficou avermelhada o que indicava uma infecção na pele, ou pior, o ressurgimento do câncer. Então desistimos de expandir (faltou 200ml) para não correr o risco de nenhum atraso na radioterapia, muito importante para concluir o tratamento. E como o vermelho da pele respondeu aos antibióticos, a volta do câncer foi descartado.
    - O câncer poderia ter voltado sim, pois apesar da excelente reposta a quimioterapia, na biópsia feita na cirurgia, foram observados células vivas tanto no tumor da mama quanto nos lindonodos retirados.
    - O meu médico sugeri um novo ciclo de quimioterapia após a radioterapia, que levará mais 6 meses de tratamento. É um novo tratamento, que associado ao protocolo de tratamento neoadjuvante, diminui a possibilidade de ressurgimento do câncer lá na frente. É um tratamento mais preventivo.
    Tratamento este que não quero fazer, mas como conversado com a minha médica, que entendeu os meus motivos, não é o momento para me preocupar, que devo focar na radioterapia e só depois voltaremos a conversar e decidir. E assim farei.

    A radioterapia começa hoje, daqui a pouquinho, e estou infinitamente ansiosa para que acabe. Serão 28 sessões, feitas de segunda a sexta. Previsão de término na primeira semana de agosto.
     
    Então vamos lá! Com força, coragem e mentalizando o meu mantra:
    - Vai passar, vai passar, vai passar...
    Está passando!
     
     
     


    * O meu tipo de câncer é um triplo negativo, um dos mais agressivos e com chances maiores de recidivas. Eu tenho uma alteração genética, o PALB2, algo novo, sem muita literatura médica e o primeiro caso do meu oncologista.
    6

    Visualizar comentários

  10. Todos amigos e leitores que nos acompanham no blog, e agora no livro, sabem que desde o meu diagnóstico de câncer de mama, o meu maior cuidado e preocupação era em relação ao impacto de tudo para os meninos.
     
    O choque maior para as crianças, com certeza foi a perda do cabelo, tornando a doença mais concreta, mas houve também mudança na rotina: passaram a ficar o dia todo na escola, a utilizar transporte escolar e eu passei a ser uma mãe mais "ausente".
     
    O Miguel levou muito tempo para se adaptar a nova rotina de passar o dia todo na escola. Geralmente vinha um bilhete de como ele estava "agitado". No transporte sempre havia alguma reclamação, o João e o Pedro traziam relatos de como ele tinha gritado ou falado palavras inapropriadas.
     
    Ele começou a agredir fisicamente os outros, quando estava nervoso e depois, começou a se agredir, o que me deixou um tanto desesperada. A psicóloga nos orientou a separar uma almofada para que ele extravasasse sua raiva.
     
    E ainda tinha as observações das terapeutas de como ele estava disperso e agitado, sem concentração nas atividades. Ele chegou a chutar a barriga da fonoaudióloga que está grávida. No dia que isso aconteceu passei a noite sem dormir tamanha a minha angústia, culpa e medo, que só passaram depois que ela me tranquilizou que estava tudo bem com ela e o bebê.
     
    As "reclamações" sobre seu comportamento foram tantas que as terapeutas me indicaram passar o Miguel com um outro neurologista, cogitando a ideia de entrarmos com medicação, pois elas estavam muito preocupadas com o aproveitamento dele nas sessões e na escola.
     
    Fizemos conforme a orientação delas e passamos o Miguel para reavaliação com uma nova médica. A ideia de medicação nunca agradou nem a mim e nem ao Eduardo, mas precisávamos pensar no que era melhor para o desenvolvimento do Miguel.
     
    A médica foi muita sensata, e por enquanto, não acha necessário entrar com medicação. Ela indicou manter as terapias e estímulos que já fazemos, e observar o Miguel até julho, quando ele completará 5 anos e meio.
    Ela disse para continuarmos "exigindo" todas as habilidades e competências da idade, pois isso é um estímulo para ele, mas para não esquecermos que ele NÃO RESPONDERÁ como uma criança de 5 anos, afinal o Miguel vem com um atraso global significativo, mas como ele vem com um desenvolvimento progressivo, será questão de tempo para que ele atinja o que é esperado para a idade, inclusive o controle para ir ao banheiro (ainda temos muitos escapes). E se neste tempo de observação, ele não melhorar ou piorar, entraremos com medicação.
     
    Isso nos tranquilizou um pouco, claro que é bom saber que estamos no caminho certo, mas ainda teríamos que lidar com todo este "mal" comportamento dele e usar medidas mais efetivas para ajuda-lo!
     
    Mudamos os óculos para que ele passasse a usar com mais frequência e pedimos para a pediatra uma medicação homeopática para ajuda-lo a ficar mais calmo.
     
    No dia da minha cirurgia ele arrancou as lentes dos óculos novos, que não tinha 2 semanas de uso, por raiva, e ninguém encontrou!
     
    Voltei para casa, cheia de cuidados para que, principalmente o Miguel, meu chicletinho, não pulasse em cima de mim e grudasse como de costume e aparentemente ele, e os irmãos, entenderam bem. Aceitaram a nova rotina, com o pai cuidando de tudo, desde dar o café, banho, jantar até arrumar a mala, lancheira e colocar para dormir.
     
    E então, as coisas com o Miguel se acalmaram, entraram nos eixos e há mais de 4 semanas não recebo reclamações do Miguel!!! Ele está infinitamente mais calmo, mas concentrado para as atividades e apresentando grandes avanços em todos os sentidos.
     
    E começou a verbalizar melhor os sentimentos, claro que do jeito dele, mas bem claro para mim, que a saudade do nosso grude está grande, só não sei se está maior que a minha!
     
    E aí vocês me perguntam: e o João e o Pedro?!?
     
    O Pedro relaciona tudo ao câncer. Até desenhos ele faz e diz que eles estão com câncer. Está muito disperso e distraído em casa, mais do que costumava ser! Têm feito drama por qualquer coisa e já pediu diversas vezes para sair do período complementar da escola.
     
    O João, por ser o mais maduro, foi o que menos demos atenção em todo o processo. E a verdade é que ele pareceu lidar muito bem com tudo, mas na última reunião da escola as professoras nos alertaram que algo pode estar errado. Não no aprendizado, mas na forma de lidar com as frustrações e exigências consigo mesmo. Ele não tem se permitido errar! Fica inconsolável quando alguma coisa dá errado, como quando não consegue apontar o lápis, terminar uma atividade ou uma simples troca de lugar.
     
    Em conversa com a psicóloga do Miguel, ela nos indicou procurar uma profissional para não deixar a situação se agravar e entender o motivo de tal comportamento, que conforme relato das professoras tem se intensificado. Percebemos um pouco desta angústia dele, em casa, quando alguma coisa de comer esta no final e ele fica desesperado para ninguém comer para que não acabe.
     
    Estamos tentando tranquiliza-lo, dizer que não tem problema nenhum errar, que é assim mesmo, que os desenhos só ficam bons depois de muito treino. Que o que é bonito para um, pode não ser para o outro. Que as coisas podem ser diferentes... Estamos acolhendo, conversando, explicando e já marquei com uma profissional para entendermos melhor o que se passa naquela cabecinha!

    Todos estes comportamentos podem até não ter relação com o que estamos vivenciando, ou podem ter se intensificado por tal motivo. Mas se não é fácil lidar com tantas mudanças e medos em um curto espaço de tempo, imaginem só para as crianças que nem entendem, mas sentem toda a "tensão" dos pais! E confesso a vocês que tem dias muito tensos por aqui... mas conto em breve em um próximo post.
     
    E assim seguimos...

    Acreditando que os últimos meses apesar de intenso e com algumas "dores" será rico em aprendizados e amadurecimento para todos!
     
    E continuamos no nosso papel de acolher, orientar, dando sempre o nosso melhor e principalmente dando todo nosso AMOR!


     
    0

    Adicionar um comentário

Carregando